sábado, 24 de junho de 2017

Post Dois

Faço rodízio pra desabafar com as pessoas, não quero que elas se cansem. Parece algo altruísta, mas é apenas eu usando outras pessoas como produtos farmacológicos. Mas quem são essas pessoas?
Primeiro foram amigos próximos, mas eles sempre tinham o problema chato de querer resolver minhas neuras ou tentar me acalmar, então acabei por descarta-los. Em seguida veio os colegas distantes, mas eles nem sempre tem paciência ou tempo pra ouvir uma chuva de lamurias infernais. Na sequência vieram os ex-peguetes que apesar de muito sem paciência ainda fingem ouvir na esperança de alguma chance, mas ai fica insuportável o como sempre terminam a me convidar pra sair.
Teve uma fase até onde aleatoriamente estranhos eram o ombro de apoio para crises existenciais, mas ai eles deixam de ser estranhos na segunda lamuria e passam pra categoria 2, colegas distantes. Hoje me retenho a escrever, isso parece o mais certo a se fazer, visto que assim não estou despejando minhas tristezas e bobagens em ninguém – desde que ninguém leia.

Mas as vezes a gente escreve coisas que precisam ser lidas, mas por quem? Quem será a próxima vítima desse poço de chatice? Não sei. Talvez eu adote o esquema anterior e faça um rodizio de leitores, onde cada um receba um texto apenas, sem respostas, sem interação. Apenas um texto para ler e esquecer. Pode ser uma boa, o que acham?

Nenhum comentário: